sábado, 7 de março de 2009

Na Pedra


Casinhas medievais na
beira do mangue
o cheiro de maresia
respirado por cada poro
e pela primeira vez
o pastel de siri.

Nosso caminho:
o cais de meninos pescadores
nas ruazinhas desertas
igrejinha e os
balanços de pneu sob
as árvores sob a sombra
sobre o chão folhado.

Barcos adormecidos na areia
me convidam a dormir
dentro da brisa e da calma
do sorriso dela que
convida a beleza do mundo.

Tudo é de nós dois
nesse lugar onde
todos os dias
parecem tardes de domingo.

3 comentários:

Karla Moreno disse...

Que descrição!!!
Me senti nesse lugar, e já pensou se tdos os dias fossem como tardes de domingo? Ahh, que calmaria perfeita!

Adoro, beijões amigo escritor,
Kakau.

fm disse...

Obrigada por voltar a postar seu poemas q falam de nós dois...

quanto ao poema em si: ...
fantástico...rs... me fez recordar um momento de "casalzinho casado" ... da nossa "rotina azul"...

obrigada por esse momento, por este poema, por existir em minha vida e por me amar tanto quanto amo vc!

bjos meu amado!

CASA EM GUARATIBA / CAMPO GRANDE disse...

A Pedra é para pessoas especiais como vc,que veem com o coração e sentem no olhar.bjs,genro