quarta-feira, 25 de junho de 2008

Pathos


Tenho vinte e cinco.
Meio caminho, meio termo,
mas me sinto muito mais p’ra trinta que p’ra vinte.
E só agora desvaneci romantismos,
só agora percebi que quartos de hotel são todos diferentes,
as putas é que são todas iguais.
Sinto saudades, fico triste, nos lugares mais improváveis,
fico assim até mesmo entre as pernas de uma mulher!
E boteco nenhum me salva dessa patologia,
só volto p’ra casa embriagado de sono e de versos ruins...
antes bebesse até cair,
porque a ressaca de versos ruins é infinitamente pior que a de vinho.

Meus amigos bem que tentam a alegria,
e às vezes até conseguem,
mas eu já nem tento mais.
Assumo de vez esses olhos vazios como os filhos indesejados
que chegaram no momento errado,
mas que assim mesmo devo amar simplesmente
por serem carne da minha carne,
sangue do meu sangue:

-Mulher, eis aí o teu filho!

4 comentários:

mariana.tine disse...

Querido,
Realmente às vezes procuramos essa tal "alegria" em algum lugar, nas pessoas mas, tenha certeza que ela está em você!!!!
Onde você menos espera, ela está escondida aí!!!!!

Bjs

Victor Rocha disse...

Qüe Qüe Qüe Qüe!
Disseram os Pathos alegremente
Qüe...Qüe
arfaram e lamentaram em coro, os pobres Pathos tristemente.
Qüe?
Indagou seus amigos, os Pathos.

Marcello Liberal disse...

Tem talento o garoto... :-P

Victor Rocha disse...

certo que não fui compreendido pelo meu amigo com meu comentario em tom infantil e jocoso, mas não "desdenhoso" sobre o post PATHOS.

Longe de tentar lubridiar com sua poética, apenas quis dizer que: Não importa qual o sentimento, O PATHOS é o mesmo... Somos seres humanos, sobrebamente os unicos animais que acham que tem de ser feliz.