quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Um Lugar



No sofá da varanda,
enquanto ela me aponta a árvore morta
que foi sombra durante sua infância,
eu, com minha vista de míope,
pensei que o brilho no olho em seu rosto de perfil
fosse uma única estrela esquecida no céu
depois que a chuva passou.

Um comentário:

fm disse...

Como não amar você???!!!...
Nem tenho palavras... obrigada por tudo !!! Mas principalmente, por estar com seu olhos de poeta sempre abertos aos mínimos detalhes e momentos!
minha vida é sua! Meu amor é seu!
Nanda