domingo, 26 de dezembro de 2010

Locus


Um velho enquadrado no escuro da
janela do seu apartamento.
Em um bar de esquina um chope gelado
num dia quente de chuva.
Um rapaz gay correndo e brincando
me arranca um sorriso.
O instante do beijo debaixo
de um guarda-chuva azul (a única
cor azul no dia).
A mulher que espera na porta do
shopping me fala mais de saudade
que de anseio.

Imagens e afetos que
no redemoinho das horas suburbanas
nos diz:
prosaico.
Mas o olho do poeta contradiz
o cotidiano absoluto:
é no cerne desses fenômenos que
a poesia existe violentamente.

Um comentário:

Joana. disse...

É luis....
Boas imagens.
Adorei o novo visual do blogger.
Beijoca