segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O Mar


Hoje fui ver o mar.
Precisava da experiência do mar.
O mar é indizível
o mar não se importa com os homens
o mar nem sabe dos homens...

Nele tudo é apenas força
força imensa quebrando na terra desde
antes de qualquer possibilidade de memória.

É por isso que quando a onda se
choca contra o meu peito
ela impregna o mar em mim
prende em meus poros suas partículas
invisíveis de água e sal
e é como se eu passasse a carregar no corpo
essa divindade antiga e azul através dos
cinzas desgastados do subúrbio.
É como se eu trouxesse em mim
um pouco de oceano p’ra casa.

Um comentário: