segunda-feira, 16 de junho de 2014

inventário de ausências (ou das anticoisas que tu deixastes)

1) as fotografias que não dissolverão nunca
a tua imagem do tempo destes olhos

2) um ou outro fio de cabelo teu pelos lençóis,
que encontro como se encontrasse uma alegria

3) os brincos sobre a cômoda, e dentro
deles um desejo de que, como quem não
quer nada, tu os venha buscar

4) o vestígio da palma da tua mão na porta
do armário: o índice dos teus dedos frágeis

5) teu cheiro habitando na blusa que coloquei ao
lado do travesseiro e que, durante a sonolência,
quase faz parecer que estás aqui

6) um barulhinho de saudade naufragando
tarde adentro (pode escutá-lo?)

7) a fantasmática do teu corpo nu na varanda: a
miragem da vênus de botticelli fumando um cigarro

8) e um enigma: este corpo grande e musculoso

curvado sob o peso deste pequenino sentimento

Um comentário:

Mister Frait Moran disse...

Que profundo... Estou virando admiradora deste blog!